quarta-feira, 10 de junho de 2009

O Ponto Secreto



http://www.biblioteca24x7.com.br/

O QUE É A YOGA?

(Surgiu no Oriente, basicamente na Índia)

"Conjunto de técnicas que podem ser utilizadas para o desenvolvimento da saúde física, mental e psíquica da personalidade humana, assim como para controle do estresse, maior eficiência nas atividades do dia-a-dia, melhor qualidade do descanso e para um progressivo equilíbrio interior."
É assim que o Yoga geralmente é visto no Ocidente.

Todavia, o objetivo maior do Yoga, como ciência do autoconhecimento, é a libertação progressiva da consciência, através de técnicas meditativas superiores, constantes da preciosa obra sânscrita Yoga-Sutras (século IV a.C.), do filósofo e sábio hindu Patânjali.

Há diferentes tipos de Yoga que se adaptam a diferentes tipos de personalidade. Historicamente, o mais significativo ramo do Yoga é o Sistema Clássico de Patânjali, também chamado Raja Yoga ou Yoga Darshana. Existem inúmeros outros tipos de Yoga, muitos deles não-sistemáticos, geralmente misturados com conceitos populares. O tipo de Yoga atualmente mais praticado no Ocidente é o Hatha Yoga.

A palavra yoga vem da raiz sânscrita yuj que significa atrelar, unir, juntar. Seria então a união do ser individual (jivatman) ao Ser Supremo (paratman).

Podemos considerar o Yoga como a ciência da educação integral.

O Yoga é um processo que possibilita despertar, descobrir e transformar o ser humano em todos os seus aspectos. É um caminho para a transformação pessoal, cultural e universal.

O Yoga possui inúmeras técnicas e preceitos filosóficos que ajudam o homem em seu processo de transformação.

A história da Yoga se perde nos milênios, é considerada filosofia-religião e é a soma da evolução de várias épocas. O sacrifício e o esforço individual preconizados nos ensinamentos de Yoga tem a sublime finalidade: a liberação de Agni, o fogo da vida.

Mas os mestres advertem sobre a difusão da Yoga:

"Que ninguém a ensine a quem não tenha pacificado o seu espírito”.

AS LINHAS DA YOGA:

HATHA-YOGA:

Hatha quer dizer Domínio. Os mais dispostos fisicamente sentirão atração pela Hatha Yoga, que utiliza o domínio externo e interno do corpo físico como ponto de partida. LIMPAR AS VIDRAÇAS PARA QUE A LUZ PENETRE. Tecnicamente é um sistema de técnicas psicossomáticas que servem de instrumento para transformar o corpo físico num corpo divino.

Quatro elementos do Hatha Yoga:

1-âsana (posições corporais);

2-Pranayama (Técnicas de Respiração);

3-Relaxamento Corporal;

4-Atitude Mental.

*Os âsanas são feitos de maneira suave, lento e uniforme, sem esforço físico, a postura serve para movimentar, canalizar as energias e não gastá-las.

RAJA-YOGA:

O talento meditativo, que utiliza o domínio interno dos mecanismos da atividade mental. Trata da mente e dos poderes psíquicos, fortifica a VONTADE e a CONCENTRAÇÃO MENTAL. Raja significa Rei, esse sistema de Yoga foi introduzido por Patanjali e significa UNIÃO REAL com a divindade.

Oito etapas da prática do Raja-Yoga:

1-YAMA

a. Refreamentos: Não violência, verdade, não furtarás, continência, não possessividade.

2-NIYAMA

a.Observâncias: Purificação, contentamento, esforço sobre si, estudo e consagração.

3-ÂSANAS:

a.Posturas corporais (exercícios suaves de canalização energética).

4-PRANAYANA:

a.Disciplinas de Respiração.

5-PRATYAHARA:

a.Retraimento dos sentidos.

6-DHARAMA:

a.Fixação da atenção, concentração.

7-DHYANA:

a.Meditação

8-SAMADHI

a.Contemplação, êxtase, transcendência.

O Raja-Yoga mostra as leis que governam os mistérios, desenvolve os dons anímicos como a clarividência, capacidade de ver o passado e o futuro; a faculdade de ver o seu interior, ver as vidas passadas, as suas e as dos outros. O yogue então alcança o estado chamado de "Liberado-Vivo", no qual continua a ter uma existência corporal, porque lhe resta um resíduo Kármico a consumir.

KARMA-YOGA

A palavra Karma é derivada da Raiz KRI cujo significado é agir, fazer.

A Yoga da ação. Cada trabalho na terra deve ser feito com amor, sem egoísmo, já que pela lei do Karma, cada ação corresponde a uma reação.

Ação, Reação e Liberdade. A que se preocupa com a ética, busca a atividade externa, a vida ativa com a renúncia progressiva ao objeto da ação.

A idéia fundamental, é evitar que se fique preso ao emaranhado das ilusões da terra, provenientes do mundo Maya, evitar que os homens se tornem escravos e não senhores de si e de seus sentimentos.

O Karma-Yoga tem como base a atividade da vida, ir ao encontro dos acontecimentos, enfrentá-los no dia-a-dia, desta forma o amor, comer, beber falar, exercícios, qualquer função orgânica são KARMA. Para esse yogue toda ação no mundo físico é governada pela lei do Karma.

Bhagavad-Gita nos aconselha a não nos apegarmos ao trabalho que fazemos, de forma a não aprisionarmos nossa alma.

BHAKTI-YOGA:

A palavra Bhakti é derivada da raiz Bhaj, que significa DEVOÇÃO, supremo apego ao senhor.

O tipo emocional deve provavelmente ser atraído por essa linha da yoga que é a prática do amor e da devoção a Deus e ao próximo (Cristianismo).

O Bhakti-Yoga prega que a meta final de todas as religiões pode ser alcançada pelo amor e adoração ao Supremo ou Absoluto, que é o criador do universo. Segue a linha do Cristianismo, Judaísmo, Maometismo, e outros sistemas dualistas.

As formas de Bakti-Yoga divide-se em dois grandes ramos, o preparatório:

GAUNI: Contém todas as Práticas preliminares. Respeito, reverência, concentração, respiração, relaxamento. Não deve matar nenhum animal para alimentar-se (vegetarianismo)

PARÂ: Toda a prática de recolhimento interno de adoração a Deus, um Deus pessoal.

JNANA-YOGA

A palavra Jnana derivada da palavra Jna significa CONHECIMENTO.

O espírito intelectual e filosófico identificar-se-á com a JNANA-YOGA, que emprega o discernimento e conhecimento abstrato.

As cortinas da ilusão serão rasgadas pelo praticante do Jnana, que é um perfeito investigador da verdade. Possui 3 aspectos (volitivo, afetivo e cognitivo) do ser humano:

Sete qualificações exige-se do praticante do Jnana:

1º)VIVEKA (DISCERNIMENTO):

A Realidade da aparência – sonhos, alucinações, ilusões.

Realidade Empírica – a da experiência cotidiana, está submetida a uma mudança perpétua, aquilo que em um dado momento é real em outro não é mais, não pode ser considerado verdadeiramente real.

Realidade Absoluta: Só esta é eterna e real, quem é um yogue jnana busca incessantemente esta realidade.

2º)VAIRAGYA (RENÚNCIA):

É o desinteresse por todos os objetos de prazer, renuncia a todos os frutos do trabalho, a vida, a morte, a alegria, a angústia tudo isso não passa de criações mentais.

3º)TAPAS (AUSTERIDADE):

Composto de seis tesouros: Tranqüilidade, autocontrole, controle da mente, tolerância, contemplação e fé.

4º)MUMUKSUTVA (A LIBERAÇÃO):

O desejo intenso de se livrar de todas as formas de servidão.

5º)CRAVANA (AUDIÇÃO):

Ouvir atentamente, para poder captar todos os ensinamentos.

6º)MAMANA (REFLEXÃO):

Refletir constantemente sobre todos os ensinamentos, eliminar dúvidas.

7º)NIDIDHYASANA (MEDITAÇÃO):

Meditação constante sobre as doutrinas reveladas pelos estudos, mestres e escrituras. Sentado num lugar retirado, meditação inquebrantável a qualquer manifestação do exterior, aprofundando-se no infinito.

TANTRA-YOGA:

O dominio das energias sutis, leva ao Tantra yoga (KUNDALINI, ENERGIA ADORMECIDA) exercicios das energias psíquicas e fisiológicas. É a yoga dos chakras, principalmente do chakra básico.

O despertar da serpente, libertar a energia sexual adormecida na base da coluna no coccix é a função da KUNDALINI-YOGA ou TANTRA-YOGA.

Existem duas correntes Kundalinícas, uma amarela e outra vermelha que quando despertas, vão serpenteando a coluna vertebral até o chakra coronário, fluindo energias para todos os outros.

A energia positiva com a cor amarela chama-se pingala e a vermelha chama-se ida no homem, na mulher essa energética é invertida.

A kundalini está adormecida (serpente energética), obstruindo com sua cabeça a entrada de Sushumna na base da coluna no chakra básico (radico); para despertar a kundalini são aliadas várias técnicas, posturas, respiração e um cuidado todo especial.

Segundo os Tantras, "a tranqüilidade e a paz vêm de dentro para fora".

Derivado do verbo tantori (tecer), Tantra Yoga é um termo sânscrito que significa a essência ou urditura daquilo que é tecido. Segundo outra versão, deriva da raiz Tan, que quer dizer estender. Como os tantras também são conhecidos sob a designação de agama, ou seja, tradição, teríamos como significado final "estender a tradição", mas na realidade entende-se como estender a serpente (energia sexual por todo os chakras).

MANTRA-YOGA:

A YOGA dos sons internos e externos, os mantras são poderosos sons que movem as energias psíquicas e fisiológicas.

A palavra MANTRA é derivada doa raiz MAN que significa pensar e o sufixo TRA significa instrumento, é o ramo da yoga que estuda as vibrações sonoras, a vocalização. Existem sons místicos, sagrados que quando evocados sistematicamente despertam a consciência.

KRIYA-YOGA:

Kriya Yoga é um método simples, psicofisiológico, pelo qual o sangue humano se descarboniza e volta a oxigenar-se. Os átomos deste extra-oxigênio transmutam-se em corrente vital para rejuvenescer o cérebro e os centros da espinha. Sustando a acumulação de sangue venoso, o iogue pode diminuir ou evitar a degeneração dos tecidos. O iogue adiantado transmuta suas células em energia. Elias, Jesus, Kabir e outros profetas foram, no passado, mestres no uso de Kriya ou de uma técnica similar, pela qual eles materializavam ou desmaterializavam seus corpos à vontade.

Kriya é uma ciência antiqüíssima. Láhiri Mahásaya recebeu-a de seu grande guru, Bábají, que redescobriu e purificou esta técnica depois da Idade Média, época em que esteve perdida. Bábají batizou-a de novo, simplesmente, de Kriya Yoga.

Kriya Yoga é um instrumento que pode acelerar a evolução humana - explica Sri Yuktéswar a seus estudantes. - Os antigos iogues descobriram que o segredo da consciência cósmica se liga intimamente ao domínio da respiração. Esta é a contribuição sem par, e imortal, da índia, ao tesouro de conhecimento do mundo. A força vital, que comumente se emprega para manter a pulsação cardíaca, deve tornar-se livre para atividades superiores por meio de um método que acalme e deteriore as demandas incessantes da respiração.

O Kriya Yogi dirige mentalmente sua energia vital para cima e para baixo, a fim de fazê-la girar em torno dos seis centros espinhais (plexos medular, cervical, dorsal, lombar, sacro e coccígeo), correspondentes aos doze signos astrais do Zodíaco, o Homem Cósmico simbólico. Meio minuto de revolução da energia ao redor do sensitivo cordão da espinha, efetua progressos sutis na evolução do homem; esse meio minuto de Kriya equivale a um ano de desenvolvimento comum.

Tentativas de reter a respiração nos pulmões, até o exagero, são artificiais e decididamente desagradáveis, A prática de Kriya, ao contrário, é acompanhada, desde o início, por sentimentos de paz e sensações suavizantes, de efeito regenerador na espinha.

Esta antiga técnica iogue converte a respiração em substância mental. O adiantamento espiritual permite ao devoto conhecer a respiração como um conceito, um ato da mente: ela é, pois, uma respiração de sonho.

Com alimentação apropriada, luz solar e pensamentos harmoniosos, homens que se deixam guiar apenas pela Natureza e seu divino plano, alcançarão a experiência de Deus em um milhão de anos. Necessitam-se doze anos de vida normal saudável para que se efetue o mais leve refinamento na estrutura do cérebro; um milhão de anos solares são precisos até purificar o alojamento cerebral o suficiente para que manifeste a consciência cósmica. Um Kriya Yogi, entretanto, pelo exercício desta ciência espiritual, livra-se da necessidade de um longo período de cuidadosa observância das leis naturais.

Kriya Yoga é o verdadeiro “rito do fogo”, muitas vezes enaltecido no Gíta. O iogue arroja seus anseios humanos numa fogueira monoteísta consagrada ao Deus incomparável. Nesta autêntica cerimônia do fogo, todos os desejos passados e presentes são o combustível consumido pelo amor divino. A Flama Última recebe em holocausto a derradeira loucura humana e o homem se vê livre de escórias. Seus ossos metafóricos despojados de toda carne sensual, seu esqueleto cármico branqueado pelos sóis anti-sépticos da sabedoria, sem ofensas ao homem e ao Criador, ele se encontra - finalmente - limpo

Paramahansa Yogananda
Autobiografia de Um Iogue, capítulo 26

LINK PARA O TÓPICO DOS CHAKRAS:
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=17188881&tid=2476947715946107428

Fonte:
-Revista Planeta.
-Georg Feuerstein - Manual da Yoga
-Internet

Extraído de: http://www.espiritualismo.hostmach.com.br/yoga.htm

http://sensiart.com/Paginas/Yoga/Kriya_Yoga.htm

2 comentários:

Emilia Figueiredo disse...

GOSTO DE SEU BLOGUE AMIGO TEM MUITOS ASSUNTOS DE INTERESSE ANDO PESQUISANDO GRÁTA POR SUA AMIZADE EM ORDEM UNIVERSAL DOS SERES ESTELARES TENHA UMA BOA SEMANA ABRAÇO MILA

Marcel Cervantes ---- Um místico disse...

Olá Emília, muito obrigado pelo seu comentário!!
Uma ótima semana também!!
Abraços!!
Marcel